A VIDA É UMA VIAGEM QUE VALE A PENA

setembro 10, 2019 Cesar Luiz Pasold Informações 0 comentários

foto-ricardo-rosaNosso Colaborador Permanente Professor e Advogado Ricardo José da ROSA (Acadêmico da Academia Catarinense de Letras Jurídicas-ACALEJ; Membro Efetivo e Presidente do Conselho Deliberativo do IASC), apresenta informações e relevantes reflexões sobre a importância da valorização permanente da VIDA. Merece leitura atenta, como segue:

” Apesar de o titulo sugerir um tema alegre e enriquecedor, é com muita amargura que escrevo este artigo, porque seu enfoque não é propriamente a vida, mas a abdicação dela. De fato, a vida é uma viagem, e vale a pena. Ocorre, contudo,  que muitas pessoas, em determinados momentos de suas vidas, passam a ver apenas paisagens desoladoras e, por motivos diversos, desistem de continuar a viver. Minha intenção é formular um pedido de socorro, em nome de todos aqueles que estão desistindo e, por vontade própria, dão fim à suas existências. Os números que envolvem o suicídio são absurdamente alarmantes! Estamos diante de uma endemia, suscitando a situação providências urgentes. Antes de apresentarmos alguns dados é importante ressaltar que se referem somente aos suicídios efetivados, ficando à margem de consideração as tentativas. Ainda há de se considerar que muitos casos são classificados erroneamente como acidentes, o que faz com que as estatísticas oficiais  sejam arrefecidas. No mundo ocorre um suicídio a cada quarenta segundos, segundo dados fornecidos pela OMS. No Brasil, são trinta e dois por dia, ou seja, alarmantes onze mil, seiscentas e oitenta mortes por suicídio todos os anos. Ainda segundo cálculo da OMS, no ano de 2016 aproximadamente 35 milhões de anos de vida foram perdidos, no mundo, levando-se em consideração a idade da vítima e a expectativa de vida. O suicídio é apontado como a segunda causa de óbitos entre jovens de quinze a vinte e nove anos. O suicídio e a automutilação são preocupantes entre crianças e jovens e, muitas vezes, são estimulados por jogos que veiculam na internet.

Também entre os idosos vem crescendo o número dos que desistem de viver. Ocorrem mais óbitos em decorrência de suicídios do que em razão de acidentes de trânsito ou guerras. O assunto, no entanto, é pouco comentado, inserido na categoria de tabus, o que dificulta a conscientização e o combate. Como causas principais as pesquisas indicam transtornos mentais e psiquiátricos, como depressão, transtorno bipolar, uso abusivo de álcool e outras drogas, bullying,  violência sexual e doméstica. De acordo com a psicóloga Denise Machado Duran Gutierres, professora da Universidade Federal de Amazonas e autora de vários artigos científicos: “Na terceira idade, especialmente quando há doença degenerativa, com perda de capacidade funcional e dor crônica, e quando há perda de laços referenciais e de uma série de suportes” (Revista Ciência & Saúde Coletiva).

 Acrescentem-se, ainda,  o abandono por parentes e, comum às demais fases da vida, a depressão. É da maior importância destacar que grande parte dos suicídios poderia ser evitada se a solução fosse providenciada a tempo. A falta de conscientização e o silêncio sobre o tema podem ser apontados como causa para a omissão na busca de soluções. Tal quadro, felizmente, vem sendo alterado com campanhas desenvolvidas permanentemente ou limitadas (infelizmente) ao mês de setembro.

Elogios merece o CVV – Centro de Valorização da Vida que, através de voluntários, oferece apoio emocional e de prevenção ao suicídio, permanentemente através do telefone 188. O voluntário do CVV doa seu tempo e sua atenção para quem deseja conversar com outra pessoa de forma anônima, sigilosa e sem julgamento ou críticas (site cvv.org.br). Outras iniciativas vem sendo desenvolvidas no trabalho de conscientização e prevenção: destaques na cor amarela iluminando prédios públicos, monumentos históricos, pontos turísticos, sempre no mês de setembro, destinado à prevenção do suicídio, como antes mencionado. Além disso, são realizados passeios de bicicletas e motocicletas, caminhadas e manifestações públicas, visando a chamar a  atenção ao tema.

 Algo mais pode ser feito, o chamado para uma viagem que vale a pena ser feita até seu final.

 Publicações poderão ser impressas e distribuídas em escolas e diversos outros pontos, com a simples mensagem: A VIDA É UMA VIAGEM QUE VALE A PENA,  seguida da pequenas histórias de personagens, com as quais o leitor possa se identificar.

Nessas, podem ser contada histórias  de quem esteve em situações consideradas desesperadoras mas conseguiu superá-las e se encontra muito bem.

Apenas um exemplo: conversando com um motorista de aplicativo lhe perguntei, ao saber que era originário de uma cidade distante, como havia vindo para Florianópolis. Começou a rir e me contou sua história a partir do término de um namoro, quando achou que a vida havia acabado. Não queria mais sair, sem interesse em mais nada. Um amigo o procurou e insistiu até convencê-lo a passar um final de semana em Floripa. Aqui chegando extasiou-se coma beleza de uma praia, conheceu as pessoas de um grupo que ali estavam, dentre as quais algumas garotas. Ainda no domingo telefonou para a família dizendo que não iria voltar. Conseguiu um trabalho arriscado e pouco valorizado mas foi em frente. Casou-se, anos mais tarde, com uma das garotas do grupo que conheceu quando aqui chegou e hoje o casal tem duas filhas. Esse é apenas um caso, entre tantos outros que podem provocar uma identificação e acender uma chama de esperança.

O importante é difundir a ideia  de que os problemas, por mais difíceis que sejam, podem ser resolvidos ou minimizados e que, sim, há pessoas dispostas a ajudar e também que a vida é uma viagem  com muitas paragens e possibilidades e que essa viagem vale muito a pena.”

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Este Blog sucede ao www.advocaciapasold.com.br que foi visitado 109983.

Esta página já foi visitada 592558 vezes.

Site disponibilizado pela primeira vez em 18 de novembro de 2015.
Última atualização em 16 de Setembro de 2019.
Responsável Técnico: Leonardo Latrônico Prates
Responsável Geral: Prof. Dr. Cesar Luiz Pasold