UM POUCO DO PENSAMENTO DO POLÊMICO ROGER SCRUTON

janeiro 15, 2020 Cesar Luiz Pasold Informações 0 comentários

FOTO GIANCARLO MOSERO nosso Colaborador Permanente   Prof. Dr. Giancarlo MOSER (Pós-Doutor pela FGV/RJ , Doutorado em Ciências Sociais , Doutorado em Patrimônio Cultural-PPGTH/UNIVALI-, Graduação em História pela UFSC , Licenciatura em Sociologia),escreveu objetiva crônica sobre o recém falecido filósofo Roger SCRUTON. Eis o texto integral:

“Roger Scruton, o prolífico filósofo e escritor britânico, morreu em 12 de janeiro de 2020, após uma batalha de seis meses contra o câncer. Um intelectual polêmico, amado e odiado com a mesma intensidade, cujos interesses e comentários cobriam filosofia política, estética e religião. Seus livros e artigos sobre o significado do conservadorismo se destacam como algumas das suas contribuições mais debatidas e contenciosas dessa tradição política.

Scruton defendia que as tradições culturais são bens que devem ser preservados para o benefício das gerações futuras e advogou que a arte e a educação devem ser apreciadas por si mesmas. Em contraste com o atual clima relativista, ele manteve a primazia do julgamento moral. Seus pontos de vista foram rejeitados por seus críticos utilitaristas e tecnocráticos como antiquados e irrelevantes.

Ele ganhou fama com a publicação de “O Que é Conservadorismo”. Neste trabalho, defendeu  que o Conservadorismo é independente dos dogmas econômicos liberais clássicos que usurparam amplamente o espírito mais antigo, comunitário, tradicional e estético do conservadorismo, que ele entendeu derivar do pensamento de Aristóteles. Em sua defesa e exposição sobre o tema, disse que o mesmo era uma conseqüência orgânica de heranças únicas, incluindo direito comum, direitos de propriedade e justiça institucional, bem como a tradição cristã ocidental, produzindo a liberdade de que os conservadores desfrutam e em que são aliados na preservação.

Ele conquistou destaque – e pesadas e pertinentes críticas – entre os pensadores da Esquerda em meados da década de 1980. O livro ‘Pensadores da Nova Esquerda’ efetivamente o colocou na lista negra dos que se utilizam dos pensadores pós-modernos e pós-marxistas que Roger Scruton criticou e estabeleceu-o como um pensador controverso sobre a condição humana no mundo contemporâneo.

Durante os anos 80, ele também atuou em círculos clandestinos anticomunistas na Europa Oriental. Roger Scruton pôs os pés no campo de batalha para o futuro do Ocidente e tomou o partido decisivo das forças liberdade e igualdade contra o autoritarismo e a opressão patrocinada pelo Estado. Ele tinha mais argumentos do que a chamada intelligentsia, a maioria implicitamente pró-stalinista, e uma coragem maior do que os liberais anti-stalinistas, que confortavelmente denunciaram a União Soviética de seus diários e colunas de jornais sem nunca pôr os pés em nenhum país comunista.

Scruton adotou o conservadorismo depois dos protestos estudantis de maio de 1968 na França. De 1971 a 1992, foi professor de Filosofia e Estética na Birkbeck College, em Londres, após o qual ocupou vários cargos acadêmicos, inclusive nos Estados Unidos.

Referências:

SCRUTON, Roger. O que é conservadorismo. São Paulo: É Realizações, 2015.

SCRUTON, Roger. Espinoza . São Paulo: Editora UNESP, 2000.

SOUZA, Jamerson Murillo A. de. Edmund Burke e a gênese conservadorismo. In:  Serv. Soc. São Paulo, n. 126, p. 360-377, maio/ago. 2016.”

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Este Blog sucede ao www.advocaciapasold.com.br que foi visitado 109983.

Esta página já foi visitada 909466 vezes.

Site disponibilizado pela primeira vez em 18 de novembro de 2015.
Última atualização em 29 de Maio de 2020.
Responsável Técnico: Leonardo Latrônico Prates
Responsável Geral: Prof. Dr. Cesar Luiz Pasold