“A Ciência na Modernidade abandona a sabedoria construída arcaicamente pela interação profunda do homem com o mundo: natural,social,mitológico… Esta sabedoria, com caráter de ancestralidade, fundava-se na percepção sensível, na intuição , na observação, na analogia, para compreender os mistérios da vida. […] A Ciência opera uma ruptura com tudo o que é da ordem  do sensível ,valorativo, ideológico, mitológico ou simbólico. Com a intenção de purificação do conhecimento , a Ciência acaba por desprezar a mundaneidade do mundo e por romper com a Filosofia- especialmente com a Ética e a Estética.”

> DIAS, Maria da Graça dos Santos. Direito e Pós Modernidade. In DIAS,Maria da Graça dos Santos, MELO,Osvaldo Ferreira de, SILVA, Moacyr Motta da. Política Jurídica e Pós-Modernidade.Florianópolis: Conceito Editorial, 2009. p.15.