º Em Artigo extremamente estimulante de reflexões e debates , LENIO LUIZ STRECK,  inicia assim : “O filme recente chamado Bridge of Spies (Ponte dos espiões), estrelado por Tom Hanks merece ser passado em sala de aula. Para estudar várias coisas: o que é ser um advogado, o que é princípio e o que é isto — a Constituição. Sem dar “ispoiler”, há algumas coisas que merecem ser aqui comentadas e se encaixam no comportamento de Pindorama (imaginário social, mídia e comunidade jurídica). No filme, Donavan, interpretado por Hanks, é um advogado de seguros. Por questões políticas, é indicado para defender um espião soviético que fora preso. O ano é 1960, em plena guerra fria.”.

Segue o texto que , para irresistível leitura , vai ao final tendo este teor: “Por isso insisti com a coerência e a integridade no novo Código de Processo Civil (além de outras conquistas). Esse é o trabalho da doutrina. Constranger. Dizer: “você está errado”. “A Suprema Corte errou”. “Você violou uma lei”. “Você julgou contra a jurisprudência”. “Por isso, por aquilo, por aquele outro”. Esse é o papel do “fator Julia Roberts”: constranger epistemicamente.”

> De minha parte, digo : leia em Artigos e Ensaios!

O texto foi publicado originalmente em : http://www.conjur.com.br/2016-fev-11/senso-incomum-fator-stoic-mujic-juiza-kenarik-papel-advogados-hoje