Foto Prof Dr Mauricio Fernandes PereiraProf. Dr. Mauricio Fernandes PEREIRA, Secretário Municipal de Educação de Florianópolis-SC, é o autor do texto que segue, no qual apresenta  significativos  e oportunos estímulos à reflexão sobre o exercício da docência, ou seja, a condição de Professor!

“Em primeiro lugar, o grande papel do professor é dar à educação sentido e significado à luz do contexto, sem perder o seu conjunto e entendendo que o contexto não pode ser pretexto.

Inicio o presente artigo com os ensinamentos do Papa Francisco, o qual nos lembra que:

‘Há uma diferença entre ser professor e ser Mestre. O professor dá friamente sua matéria, enquanto o mestre se envolve. É profundamente testemunhal. Há coerência entre sua conduta e sua vida. Não é mero repetidor da ciência, como o professor. É preciso ajudar os homens e as mulheres para que sejam Mestres, para que sejam testemunhas, essa é a chave da Educação.’

Professor é um ser humano! Ser humano está pautado no desenvolvimento diário de quatro elementos: paciência, disciplina, determinação e perseverança. O professor, no tempo de hoje, precisa ter esse esses quatro elementos como prática diária, pois, na posição em que se encontra, em uma sala de aula com seus alunos, ali está na posição de liderança.

E para ser um líder lastreado na autoridade, ou seja, no reconhecimento que os outros fazem de si e não apenas no poder que tem, precisa desenvolver quatro dimensões: (1) Viver intensamente o momento em que vive, é o aqui e o agora. O passado já foi, o futuro é um porvir e o aqui e o agora é o mais importante, por isso chamamos de presente; (2) Amar o que faz. Aquele que ama e se apaixona, faz de corpo e alma, entende que está aqui na Terra para cumprir um propósito, uma missão; (3) Aprender. O verdadeiro professor é aquele que sabe aprender a aprender diariamente. Não esquecer a humildade, uma vez que professor ensina, mas acima de tudo, aprende. Por fim e como conseqüência dos outros três, (4) Deixar um legado. Ser um bom professor é fazer brilhar os olhos dos alunos. Quando isso acontece, ele está marcando positivamente o seu aluno. Como diria Rubem Alves: “O Educador aponta e sorri – e contempla os olhos do discípulo. Quando seus olhos sorriem, ele se sente FELIZ.”.

Perguntas como: Qual o teu propósito? Qual a tua obra? Devem fazer parte constante do ato reflexivo do professor. Uma vez que tempo de qualidade é tempo de vida, desperdiçar tempo é desperdiçar vida. Saber isso é saber ser feliz e saber ser feliz é saber ser professor, saber ser um verdadeiro MESTRE! “

[Publicado originalmente no Jornal Noticias do Dia – edição de 12/10/17- p.07 ]

[ Republicado neste Blog com a devida autorização do Autor]